INSERT command denied to user 'jaudb'@'localhost' for table 'ESTATISTICA_NOTICIA'UPDATE command denied to user 'jaudb'@'localhost' for table 'ESTATISTICA_NOTICIA' Prefeitura Municipal de Jahu

Jaú, Domingo - 30/04/2017

..........................

Atrações culturais do Festival Saul Galvão começam no sábado

 

VEJA GUIA NA VERSÃO DIGITAL

Festival gastronômico realizado pela Prefeitura de Jahu tem solenidade em homenagem a João Ribeiro e cinema no sábado, além de música eletrônica e rock ao ar livre no domingo

A Prefeitura de Jahu, por meio da Secretaria de Cultura, Esporte e Turismo, dá largada neste sábado (26/04) ao Festival Saul Galvão de gastronomia. Entre as atrações culturais destaque para homenagem ao comandante João Ribeiro de Barros no sábado e à música eletrônica e ao rock ao ar livre no domingo. Paralelamente aos eventos artísticos, o festival incentiva o jauense e o turista da região a conhecer de 25 de abril a 11 de maio o paladar da cozinha local em 22 estabelecimentos (bares e restaurantes) que aderiram à iniciativa.

 “A Prefeitura de Jahu apresenta o Festival Saul Galvão. Entre 25 de abril e 11 de maio bares e restaurantes da cidade vão oferecer pratos e drinks com valores promocionais com o objetivo de incentivar o jauense a curtir pratos diferenciados da nossa cozinha. Também queremos atrair turistas de toda a região para a cidade e incrementar as atrações culturais à disposição de todos”, diz Jeferson Miranda, gerente da Secretaria de Cultura, Esporte e Turismo.

O prefeito Rafael Agostini convida a população para prestigiar o Festival Saul Galvão nos aspectos gastronômico e cultural. Segundo ele, a Prefeitura desenvolve políticas públicas para o que a cidade tem de melhor e investir no setor de serviços faz parte do trabalho da atual administração. Dentro dessa lógica, segundo ele, está o ramo de gastronomia, que pode ser uma mola propulsora do crescimento da cidade. Ele convida o jauense a curtir de perto sua gastronomia e também reforça o convite aos moradores da região, uma vez que o Festival Saul Galvão tem forte apelo turístico.

“No sábado, dia 26, teremos a homenagem a João Ribeiro de Barros, com a intervenção cênica do Grupo Teatral Epifania e da banda Carlos Gomes, a partir das 19h. No domingo teremos dois eventos para a população jauense. A partir das 14h, no Parque do Rio Jaú, começa mais uma edição do projeto Amigos da Musica Eletrônica (A.M.E.) com a presença da banda Old School e de vários DJs. E no Museu, a partir das 20h, teremos o Museu do Rock. Convidamos ainda a população para assistir no sábado, às 14h, à sessão de cinema do filme Ratataouille, também integrante da programação do nosso festival gastronômico”, completa o gerente da Secretaria de Cultura.

Saul Galvão de França Júnior nasceu em Jaú, foi jornalista, escritor, crítico de restaurantes e expert em vinhos. O festival em homenagem a ele foi criado pela parceria em parceria com a Comcorp, Senac, Sebrae e Sindicato de Bares, Hotéis e Restaurantes de Jaú. No dia 23 o prefeito Rafael Agostini e o secretário de Cultura, Hamilton Chaves, apresentaram o projeto em entrevista coletiva. A programação completa está no site da Prefeitura (www.jau.sp.gov.br/festival_saul_galvao.php) e no site do próprio festival (www.festivalsaulgalvao.com.br/), onde é possível ver os pratos promocionais e os restaurantes que fazem parte do Festival Saul Galvão.

 

26 de abril Sábado

Praça Siqueira Campos 19h

Homenagem a João Ribeiro de Barros

Intervenção Cênica: Grupo Teatral Epifania

Apresentação da Banda Carlos Gomês

A homenagem é dedicada ao aviador e herói jauense João Ribeiro de Barros.  Piloto da aviação civil, brasileiro nascido no município de Jahu, foi o primeiro aviador das três Américas que fez a travessia aérea da Europa para a América do Sul, comandando o hidroavião Jahú, marca Savoia Marchetti S-55, cruzando o Oceano Atlântico (1927).

Filho de Sebastião Ribeiro de Barros e de Margarida Ribeiro de Barros, tinha seis irmãos e fez seus estudos iniciais no Ateneu Jauense, fundado por seu avô o capitão José Ribeiro de Camargo Barros (1853) e completou seus estudos secundários no Instituto de Ciências e Letras de São Paulo. Ingressou no curso de Direito da Faculdade do Largo de São Francisco, hoje Universidade de São Paulo (1917), mas abandonou o curso (1919) para se dedicar ao estudo em mecânica de aviões nos EUA. Já na França, obteve seu brevet internacional (1923) da Liga Internacional dos Aviadores, iniciando sua carreira de piloto.

Aperfeiçoou seus conhecimentos como navegador aéreo e piloto nos EUA e de acrobacias aéreas na Alemanha e começou a se preparar para uma travessia aérea transatlântica inédita (1926). Pediu auxílio ao governo brasileiro, mas não conseguiu ajuda oficial. Obstinado, não desistiu de seu projeto, vendeu sua parte de herança a seus irmãos e com este dinheiro foi para a Itália, onde comprou uma aeronave usada e com o mecânico Vasco Cinquini, fez diversas reformas e adaptações para melhoria da velocidade e autonomia.

O aparelho foi rebatizado com o nome Jahú em homenagem à sua cidade natal e com três outros tripulantes, o co-piloto Arthur Cunha, o navegador Newton Braga e Vasco Cinquini, voou de Gênova, em Itália, até Santo Amaro, São Paulo, fazendo escalas  em Alicante, na Espanha, Gibraltar, Cabo Verde, Fernando de Noronha, Natal, Recife, Salvador e Rio de Janeiro e chegando a São Paulo, com as escalas em solo brasileiro em atendimento aos festejos e à consagração pública dos tripulantes, os quais inclusive foram recebidos pelo então presidente Washington Luis, no Palácio do Catete, Rio de Janeiro.

A viagem foi extremamente dificultada por sabotagens no motor do avião ainda em Gênova, forçando uma parada em Alicante, onde foi preso, acusado de pousar sem permissão e teve que fazer uma nova escala de emergência em Gibraltar onde foram feitos novos reparos. Ancorado em Porto Praia, Cabo Verde, quando se preparava para fazer a travessia contraiu malária e teve que esperar mais um tempo, além de ter que remontar e consertar todo o avião e chegou a receber um telegrama do presidente Washington Luís desaconselhando a viagem.

Em Cabo Verde, devido a desentendimentos, dispensou o co-piloto Arthur Cunha, que foi substituído pelo tenente aviador da Esquadrilha da Aviação da Força Pública de São Paulo, hoje Polícia Militar, João Negrão, antes de partir para cruzar o Atlântico, mesmo em péssimo estado de saúde. Sua travessia foi mais heróica, pois venceu sabotagens, chantagens de companheiros e a negligência da governo, mas partindo de Praia na ilha de Santiago, em Cabo Verde, cruzou o Atlântico com seus três companheiros a bordo do Jahú, que amerissou triunfante na enseada norte de Fernando de Noronha (1927).

Em uma aventura de altos riscos, apesar de um dos motores apresentar problemas durante a viagem e enfrentar chuva, conseguiu estabelecer um recorde de velocidade que só foi batido alguns anos depois e nos tanques da aeronave ainda restavam 250 litros de combustível. Depois do feito, ainda esteve na França (1929), comprou uma aeronave nova da Breguet, que em homenagem à sua mãe, falecida naquele ano, deu-lhe o nome de Margarida, envolveu-se na Revolução Constitucionalista como voluntário (1932) e foi preso político no governo do presidente Getúlio Vargas. Solteiro e sem filhos, faleceu na fazenda Iriçanga em seu município natal, Jaú, devido a problemas hepáticos provocados pela malária contraída anos antes e seu corpo sepultado no cemitério municipal.

Depois seus restos mortais foram transferidos para a Praça Siqueira Campos e alojados no monumento erigido no local em respeito à sua memória. Graças às suas façanhas, conquistou títulos, prêmios e recebeu várias homenagens como Legião de Honra (França), a Cruz Gamada(Alemanha) e a Cruz de Malta (Itália) e hoje é patrono do Instituto Histórico-Cultural da Aeronáutica, o INCAER. O Jahú foi restaurado a sua configuração original pela empresa Helipark, de Carapicuíba, Estado de São Paulo, e levado para o Museu Asas de um Sonho, em São Carlos.

27 de abril Domingo

A.M.E. – Música Eletrônica 

Parque do Rio Jaú 14h

Sinopse: O projeto tem como objetivo divulgar a música eletrônica alternativa e possibilitar aos DJs um espaço para a apresentação de seu estilo musical alternativo completa nesta edição de março o seu primeiro ano de vida.

Há um ano o projeto que começou como uma experiência no parque foi se solidificando e conquistou seu espaço. Hoje ocupa um lugar de referência em todo o Estado de São Paulo, uma vez que sendo um projeto de vanguarda é uma iniciativa pioneira que começa a ser copiado por outras cidades. Executado de forma outdoor e open all, o projeto recebeu Djs de toda a cena alternativa eletrônica de São Paulo.

Os organizadores do evento estarão recolhendo doação de 1kg de alimentos não perecíveis que serão entregues a pessoas em estado de vulnerabilidade social. A população presente poderá também desfrutar momentos agradáveis e ter como trilha sonora vertentes da House, Techno, Trance, Drum N Bass e Progressive, além de conhecer a cultura e os mitos da Música Eletrônica em geral. O Projeto, é uma realização da Secretaria da Cultura, Esportes e Turismo de Jahu em parceria com o núcleo Old School DJs.

 

14h30 Julio C. (Tech-House) - AME
15h30
Pastteur (Deep/Tech)
16h30
Antony (Progressive)
17h30
Leh & Lory (Techno/Minimal Techno) AME
19h00 - KLEBER (Techno
KILLER BEATS) Sumaré/SP
20h00
CAMILA COSTA (Techno/ Tech-house KILLER BEATS ) 
21h00
PAAT (techno/minimal)
21h59
End!!!

 

Museu Municipal 20h

Museu do Rock

Sinopse - FITA K7, Banda Jauense formada por grandes amigos amantes do velho rock’n roll e do bom blues, mistura o rock com o ritman blues, além de produzir versões de sucessos do rock nacional no formato rock/blues. Inspirada em nomes como Blues Etílicos e principalmente em Nasi e os Irmãos do Blues a banda dá um toque especial em suas versões com seu naipe de metais juntamente com a gaita. O repertório é composto por nomes como Camisa de Vênus, Blues Etílicos, Barão Vermelho, Nasi e os Irmãos do Blues, Rita Lee, Raul Seixas entre outros. Não dá pra perder! Informações: 14 3313-6131.

O evento terá a abertura da Banda Abominated. Com uma formação jovem, a banda que se destacou no projeto Estasom Rock, ganha um espaço no Museu do Rock e pretende trazer o melhor do Classic Rock internacional para esquentar a noite.

 

CINEMA  

26 e 27 de abril – Sábado e domingo

Cinema Municipal - 14h

Cinema e Gastronomia: Ratatouille

Paris. Remy (Patton Oswalt) é um rato que sonha se tornar um grande chef. Só que sua família é contra a idéia, além do fato de que, por ser um rato, ele sempre é expulso das cozinhas que visita. Um dia, enquanto estava nos esgotos, ele fica bem embaixo do famoso restaurante de seu herói culinário, Auguste Gusteau (Brad Garrett). Ele decide visitar a cozinha do lugar e lá conhece Linguini (Lou Romano), um atrapalhado ajudante que não sabe cozinhar e precisa manter o emprego a qualquer custo. Remy e Linguini realizam uma parceria, em que Remy fica escondido sob o chapéu de Linguini e indica o que ele deve fazer ao cozinhar.

Dublado - Livre

 

Cinema Municipal - 19h

 

Filme: Caçador de Almas

Sinopse: Um atirador misterioso, Aman (Snipes), é filho de uma freira que quebra o pacto com Deus para garantir a sua sobrevivência. Este ato faz cair uma maldição sobre Aman - todos aqueles que morrerem pela sua arma voltarão. Logo, ele é caçado por um grupo de suas ex-vítimas mortos-vivos, liderada pelo malígno Kansa (Kevin Howarth). Aman alista Fabulos (Riley Smith), um novo jovem guerreiro, para lutar ao seu lado.

Legendado - 14 anos

 

Seja o primeiro a comentar esta notícia

Prefeitura Municipal de Jahu - Rua Paissandu, 444 - Centro - CEP: 17201-900 - Telefone: (14) 3602-1777

© Todos os direitos reservados - Prefeitura Municipal de Jahu | BiG DESiGNER